Competências no Feminino


Notícias & Actualidade

SAPO Emprego

As características associadas ao género.

Não há muito tempo atrás, as mulheres entravam nas empresas para ocuparem os lugares de secretárias, telefonistas ou dactilógrafas. A maior parte das profissões estavam-lhes interditas e as carreiras profissionais pouco evoluíam. Mas a realidade de hoje é bem diferente, e naquela que muitos chamaram de “guerra dos sexos”, as mulheres conquistam lugares de destaque e posições estratégicas.
Mas deve-se falar em competências masculinas e femininas? Alguns autores sugerem que essas diferenças são inatas, outros, acreditam que são produto da educação, ao longo de várias gerações. Mas quase todos são unânimes em afirmar que homens e mulheres são diferentes quando falamos de perfis comportamentais.
Reunimos algumas das características profissionais mais frequentemente associadas às mulheres. 

- Resistência à pressão. Apesar dos homens terem mais força física a mulher é, por natureza, mais resistente tanto física como psicologicamente. Em termos profissionais, isto significa que são capazes de suportar melhor a pressão e o stress.

- Capacidades de Comunicação.  Vivemos numa era de relações em que as palavras de ordem são estabelecer joint-ventures, estar perto dos clientes, estabelecer parcerias com os fornecedores. Neste cenário, as mulheres estão em aparente vantagem.

- Gestão do tempo. Desde cedo, as mulheres são treinadas para lidar em simultâneo com várias situações e fazer uma gestão rigorosa do seu tempo. Num constante esforço de conciliarem a vida profissional com a vida familiar, habituam-se a gerir planos diversos ao mesmo tempo e gerir racionalmente cada momento do seu dia. 

-  Afectividade. É observação comum que, de um modo geral, a liderança feminina é mais afectiva. As mulheres mais facilmente se apercebem de algum problema ou desconforto sentido por algum colaborador.

- Preocupação social. Apesar de todas as mudanças a que temos assistido, não podemos negar a influencia da cultura social de séculos. A garantia do bem-estar das pessoas e das suas condições sociais é uma preocupação intrínseca das mulheres que se reflecte claramente no seio empresarial.

- Democráticas. A maior parte dos estudos relacionados com este tema, denunciam que as mulheres são adeptas de um estilo de gestão democrático e participativo enquanto que os homens preferem um estilo mais autocrático e directivo. Talvez por séculos de historia afastadas do poder, as mulheres acabam por conseguir impor-se indirectamente, através do poder de influenciar os outros.

- Intuição feminina. Marginalizada pela crescimento da gestão científica e ultra-racional, a intuição esteve durante muitos anos em descrédito. No entanto, hoje em dia, a intuição é cada vez mais uma competência fulcral no desempenho profissional e nem os homens a põe de parte no momento de tomar decisões.

- Coeficiente Emocional. De uma forma geral, as mulheres têm um coeficiente emocional mais elevado, que estimula as capacidades de empatia, compaixão, relacionamento interpessoal e compreensão.

Publicidade

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS   MEO Kanal - SAPO Emprego