Amigos amigos, negócios à parte?


Criação do Próprio Emprego

SAPO Emprego

Os riscos a ter em conta.

É uma ideia, no mínimo, aliciante… Imaginar a sua rotina actual de trabalho ser substituída por um novo projecto, trabalhando com autonomia, sem depender de terceiros, e tendo como parceiro um amigo ou um familiar... As vantagens saltam à vista e, muitas vezes, este cenário aparentemente cor-de-rosa esconde uma realidade bem diferente, com contratempos e contrariedades que podem condenar à partida o sucesso deste negócio e vir mesmo a pôr em causa a própria amizade.
Se é suficientemente optimista (ou ingénuo!), para arriscar envolver negócio e amizade, não deixe de ler as nossas dicas para que tudo corra da melhor maneira... Com um planeamento adequado e atenção aos detalhes, não haverá motivo para que amigos e negócios não seja uma receita de sucesso!

1. Parta de um pressuposto objectivo.  Lançar-se num negócio por conta própria envolve um risco elevado que importa sempre ter em conta. Assim, só deverá dar este passo se estiver certo que este é um caminho que, de facto, quer seguir e para o qual está preparado. Se o estiver a fazer só para ajudar um amigo ou um familiar, o melhor é manter o seu apoio na esfera pessoal, sem se envolver directamente nas áreas comercial e financeira.

2. Aptidão para o negócio. É tentador imaginar uma parceria profissional com o seu melhor amigo(a), com quem passa tão bons momentos de lazer. Mas lembre-se que um bom amigo não faz, necessariamente, um bom colega de trabalho e ainda menos um bom sócio. Certifique-se que se envolve nesta “aventura” com alguém com apetência e espírito empreendedor.

3. Ética de trabalho. A confiança e respeito mútuo são pressupostos essenciais numa parceria profissional. Se a ética de trabalho do seu amigo não for semelhante à sua, o mais provável é que rapidamente surjam conflitos que podem destabilizar ou mesmo pôr em causa todo o investimento feito.  

4. A mesma conta, peso e medida.. É importante haver um equilíbrio entre a energia, empenho e o tempo investido por cada parte. Qualquer desigualdade poderá quebrar o elo de estabilidade essencial para dar vida e rumo a um negócio por conta própria. Preocupe-se em analisar e discutir previamente a visão que ambos têm para esta parceria e qual o nível de compromisso que estão dispostos a assumir.

5. Determine o poder decisório.  Nem sempre é possível chegar a conclusões por consenso, sobretudo, quando são dois os elementos envolvidos. Decida previamente que tipo de decisões só poderão ser tomadas por unanimidade e de que forma se definirá uma solução perante desacordo.

6. Aproveite as  vantagens de conhecer bem o seu “sócio”. Conhecendo o seu historial profissional, hábitos e perfil, mais facilmente poderá analisar as potencialidades desta sociedade. Se é uma pessoa com um percurso estável, produtiva e empenhada no que faz, mais provavelmente será bem sucedido nesta parceria.

7. Seja realista e objectivo. Os pressupostos desta parceria e os seus objectivos devem estar bem claros desde o inicio e por ambos reconhecidos. Não deixe que uma relação de amizade o faça iludir quanto às competências do seu parceiro nem criar falsas expectativas.

8. Antecipe todos os cenários possíveis. Antes de se lançar neste desafio, é importante pensar em todos os cenários – negativos e positivos - que lhe possam surgir. Antecipar qualquer eventualidade é a melhor forma de garantir que conseguirá ultrapassa-las.

9. Não descure as formalidades legais. Se necessário, consulte um advogado para garantir que todos os passos estão cumpridos. Estabeleça, por escrito, todos os elementos e pressupostos relativos a esta sociedade, garantindo que ambas as partes têm os seus interesses e direitos devidamente salvaguardados.

10. Não se esqueça do sentido da palavra “sociedade”. Mesmo que esta ideia tenha sido uma iniciativa sua, é necessário lembrar-se que, a partir do momento em que decidiu faze-lo em parceria, a opinião do seu sócio é tão importante como a sua. A ideia de sociedade obriga a uma participação igualitária na tomada de decisões e deverá sempre garantir que qualquer passo é dado com conhecimento de ambos.

Publicidade

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS   MEO Kanal - SAPO Emprego