Interpretar anúncios de emprego


Procura de Emprego

SAPO Emprego

Ler nas entrelinhas de cada oferta.

Regra geral, os anúncios de emprego dizem mais do que à primeira vista nos pode parecer. Na verdade, são eles que escondem a chave para o sucesso da primeira etapa de uma candidatura uma vez que permitem identificar o perfil que a empresa procura e, assim, estabelecer a proximidade com o perfil que o candidato oferece.
Desta forma, é essencial conseguir identifcar os pontos fundamentais de um anúncio, para retirar o máximo de informação possível e saber seleccionar quais quer e deve responder.
Ajudamo-lo a analisar cada oferta ponto a ponto,  de forma a não perder o seu tempo nem fazer perder o tempo dos responsáveis de recrutamento.
 
# Identificação da Empresa - Um anúncio onde seja identificada a entidade “recrutadora” é uma ajuda fundamental para os candidatos. No entanto, nem sempre deverá ser um critério eliminatório, uma vez que o anonimato é frequentemente utilizado como uma forma de evitar candidatos que sejam atraídos unicamente pelo “nome” da organização.  Pela identificação da Empresa o candidato deve preocupar-se em saber um pouco mais sobre a actividade e posicionamento daquela, de forma a valorizar a sua candidatura.

# Cargo -
A função para a qual se está a recrutar deve estar objectivamente referida e destacada no anúncio. Frases como “ganhe dinheiro rápido” ou “encontre o seu sonho” deverão ser vistas com alguma desconfiança uma vez que servem apenas para captar o interesse de candidatos incautos e em nada abonam para a seriedade e profissionalismo da empresa em questão.

# Região - É um aspecto muitas vezes ignorado mas que se revela essencial durante o processo de recrutamento. Se vive no Porto e aí quer continuar a fazer a sua vida, porque motivo há-de responder a um anúncio para a Ilha da Madeira? Mantenha-se atento e, antes de responder, certifique-se se estava de facto disposto a ir residir para o local da oferta em causa. Caso esteja efectivamente com pretensões de mudar, seja claro na sua candidatura e manifeste a sua facilidade e vontade em realojar-se na cidade ou país de destino.

# Habilitações Académicas - Se a empresa exige um recém licenciado sem experiência, não vale a pena responder se já tem três ou quatro anos de experiência profissional. Se não é exigido um curso específico ou existe a salvaguarda de “áreas afins”, verifique se as suas habilitações se coadunam com o que é pretendido.  Nestes casos, a adequação das habilitações prende-se também com a expectativa salarial para cada perfil.

# Experiência Profissional - Um período de experiência inferior ao exigido não deve desmotivar, mas é necessário analisar objectivamente se a sua “maturidade” profissional se ajusta ao perfil pretendido pela empresa. Não quer dizer que não tente evoluir profissionalmente, mas é preciso saber arriscar, mantendo sempre os pés assentes na terra…

# Conhecimentos técnicos - É essencial distinguir entre aquilo que é exigido como requisito básico e o que são competências preferenciais (“noções de…” ou “dá-se preferência a…”). Se são enumeradas ferramentas que nem sequer conhece é porque, certamente, não cumpre os requisitos para a função.

# Perfil pessoal -  Pela subjectividade inerente a este critério, regra geral as características apontadas são meramente exemplificativas e nunca eliminatórias. No entanto, deverá estar atento às referências da empresa para poder reflecti-las no seu CV ou, melhor ainda, no momento da entrevista.

# Idade - Infelizmente, existe uma tendência crescente de discriminar os profissionais pela sua idade e, muitas vezes, uma boa experiência profissional é preterida em função do critério etário. No entanto, nem sempre este é um requisito eliminatório, desde que o candidato saiba valorizar o seu CV por outros aspectos. Não ignore por completo este elemento mas, se a diferença face ao limite traçado não for muito elevada, arrisque, salientando algumas competências adquiridas com a experiência.

# Sexo - Tenha particular atenção a eventuais discriminações sexuais, pois estas são proibidas por lei. Em termos legais, todas as pessoas devem ter os mesmos direitos de acesso a um posto de trabalho. Se transparecer alguma forma de discriminação, faça uma queixa para a empresa anunciante ou para as entidades competentes.

Publicidade

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS   MEO Kanal - SAPO Emprego