Criar Pequenos Líderes


Desenvolvimento de Carreira

SAPO Emprego

Quanto mais cedo começar, melhores serão os resultados.

A capacidade de liderança é uma competência cada vez mais valorizada e, sobretudo nos ambientes competitivos de hoje, a sua relevância sobressai desde cedo, ainda nos bancos da escola. Os “pequenos líderes” estão um pouco por todo o lado, com um leque de seguidores entre as salas de aula e o recreio, são os delegados de turma, os capitães de equipa e os primeiros a ser escolhidos para todas as brincadeiras e actividades.
Mas se para alguns esta é uma característica inata, que os destaca logo em crianças entre os colegas pela sua popularidade, para outros, que preferem desviar de si as atenções, é algo muito difícil de conseguir. A boa notícia é que todos podem desenvolver o seu potencial para liderar e, quanto mais cedo começar, melhores serão os resultados.
Sabendo que os pais têm um papel fundamental na forma como os seus filhos se desenvolvem, porque não começar já, com algumas orientações simples, a ajudar os seus filhos a desenvolverem as suas capacidades de liderança?

Em Casa
# As crianças tendem a imitar os adultos, sendo os pais os seus modelos predilectos. Neste contexto, um dos principais passos a dar é agir, também, como um líder: seja firme, orientador e justo para que os seus filhos sigam os seus passos.
# Ao encorajar as crianças a comunicar, a exprimir o seu ponto de vista, a ouvir os outros, a negociar e a argumentar, ao dotá-los da capacidade de tomarem decisões e dando-lhes a oportunidade de desenvolverem interesses variados e a sua auto-estima, os pais acabam por dar aos seus filhos uma série de ferramentas que poderão ser muito úteis no futuro.
# Ensine-os a responsabilizarem-se pelos seus actos e a pensar no efeito que as suas acções podem ter nos outros. “Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti” é uma máxima importante a seguir para toda a vida, porque uma boa liderança passa sempre pelo respeito pelo próximo.
# Não se esqueça que, tal como cada líder é único, também cada criança é única e que por isso é importante evitar comparações. Não existem regras nem modelos a seguir e o mais importante é valorizar o potencial e o melhor de cada um.

Fora de Casa
# Actividades extra-curriculares como os escuteiros, por exemplo, permitem que as crianças desenvolvam a capacidade de se integrarem em grupos, de estabelecerem objectivos e de aprenderem a ser ambiciosas, ao mesmo tempo que aprendem o valor da solidariedade.
# O exercício pode ser mais do que um hábito saudável. Os desportos colectivos, em particular, permitem melhorar competências pessoais e sociais importantes para ser um bom líder. Por exemplo, aprender a colaborar, valorizar o empenho da equipa e saber elogiar o desempenho dos outros.
# Ao estarem em contacto com outras crianças os seus filhos vão perceber que uns têm mais jeito para desenhar, outros para fazer ginástica, outros para matemática... Esta percepção de que todas as pessoas têm talentos variados e que dificilmente poderão ser os melhores em tudo é fundamental para o seu desenvolvimento.
# Participar em actividades de equipa ajuda a criança a perceber o que é pertencer a um grupo, a apoiar os outros e receber apoio, a conciliar interesses diversificados e a lidar com pessoas diferentes. Todas estas experiências serão extremamente úteis no futuro, independentemente do caminho que seguir.
# É inevitável que, de vez em quando, surjam conflitos entre as crianças. Nestes casos, deixe-lhe algum espaço para lidar com a questão sozinho sem “correr” em seu auxilio. Ajude-o a aprender a enfrentar estas situações apostando na gestão dos conflitos pelos princípios da diplomacia e justiça.

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS