Irritar um Recrutador em 9 Passos


Comportamento & Marketing Pessoal

SAPO Emprego

Comportamentos que "testam a paciência" dos recrutadores

Num processo de procura de emprego uma das piores coisas que um candidato pode fazer é irritar o recrutador. Num cenário como o atual, em que os candidatos são “mais do que muitos”, é importante que o comportamento esteja sempre “à altura” do esperado. Reunimos alguns “passos em falso” que testam os "limites da paciência" dos recrutadores e que acabam por comprometer a avaliação dos candidatos.

1)    Ignorar as instruções da empresa para a resposta ao anúncio é uma má forma de começar. Se a empresa indica que só pretende receber candidaturas através de um determinado meio, é natural que relegue para segundo plano outras formas de resposta. Da mesma maneira, se forem pedidos documentos adicionais, é importante que o candidato os envie juntamente com o CV.

2)    Enviar um CV com erros e informação irrelevante – Erros gramaticais ou gralhas no CV são considerados falhas graves que podem demonstrar algum desleixo e até desinteresse pela candidatura. Por outro lado, “encher um CV” com informação irrelevante também não é uma boa ideia. Procure centrar o seu CV em factos e dados que sejam importantes para a função a que se está a candidatar.

3)    Ser difícil de contactar – Se o recrutador tiver de ligar várias vezes até conseguir falar com o candidato ou se tiver de aguardar vários dias por uma resposta a um e-mail, é provável que comece a pensar que talvez este não esteja a encarar a candidatura com muito interesse. Especialmente nos dias que correm, em que a concorrência é feroz, é importante que quem está à procura de emprego se mantenha contactável.

4)    Chegar atrasado ou demasiado cedo à entrevista - Imprevistos acontecem, até a caminho de uma entrevista! No entanto, é importante que os atrasos aconteçam apenas em último caso. Numa situação deste género, tente contactar a pessoa que agendou a reunião para dar uma satisfação. Por outro lado, ao chegar demasiado cedo pode ser visto como inconveniente. Neste caso, tente “fazer tempo” num lugar próximo e cinco minutos antes, dirija-se ao local da entrevista.

5)    Ter uma má postura na entrevista – Há alguns pormenores que podem fazer toda a diferença para o entrevistador: comer pastilha elástica, mexer no cabelo, estar “quase deitado” na cadeira, evitar o contacto visual, responder com monossílabos, são alguns exemplos de comportamentos que não são bem aceites e que transmitem uma má imagem.

6)    Não estar preparado para a entrevista – Já por diversas vezes falámos da importância de “fazer algum trabalho de casa” antes da entrevista. Não saber nada sobre a empresa ou sobre a função a que se está a candidatar, pode ser encarado pelo recrutador como um ponto bastante negativo.

7)    Só estar interessado no dinheiro – É verdade que o aspeto monetário é muito importante, no entanto tentar centrar todas as questões da entrevista no fator “dinheiro” pode ser extremamente mal recebido.

8)    Ser demasiado insistente – Se lhe tiver sido dado um prazo para avaliação dos CV’s ou de decisão após a entrevista, por mais difícil que seja conter a ansiedade, não tente forçar uma resposta antes da data indicada. Se após este prazo contactar a empresa e não lhe for dado qualquer feedback não volte a ligar ou a enviar e-mails, aguarde pelo contacto do recrutador.

9)    Ser indelicado perante a recusa – Se não for aceite é importante que não reaja de forma desagradável. Lembre-se que poderão existir mais oportunidades naquela empresa e que desta forma estará a “queimar” as hipóteses futuras.

Publicidade

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS   MEO Kanal - SAPO Emprego