Despertar para a excelência


Comportamento & Marketing Pessoal

SAPO Emprego

Em busca do auto-conhecimento organizacional

Por Viana Abreu

Se bem que o paradigma atual predominante ainda seja o de «poder sobre as pessoas», paradigma esse que nos trouxe até ao ponto onde nos encontramos, fica claro que está a dar lugar a um novo – «poder nas pessoas». Este novo paradigma representa o caminho para que, mais conscientes daquilo que verdadeiramente é importante, o nosso potencial se manifeste em realizações positivas.
Cada um de nós tem um papel decisivo nesta mudança evolutiva, realizando a sua parte. Enquanto seres humanos, o valor de termos conscientemente a certeza de que somos realizadores do filme das nossas vidas traz-nos a sabedoria e a responsabilidade de ativamente sermos agentes de mudança positiva. Agentes capazes de momento a momento encontrar as respostas, muitas vezes criativas, para os desafios que a vida nos proporciona, que nos fazem evoluir.
Podemos assim fazer o caminho da eficácia para a grandeza e desenhar melhor os diferentes papéis que somos chamados a desempenhar no dia-a-dia.
Cada um de nós, na nossa dimensão profissional, pode contribuir com o seu desempenho lúcido, próativo e motivado, capaz de se liderar e liderar outros, libertando o seu potencial e facilitando a libertação do potencial de todos que o rodeiam.
É deste modo que as organizações evoluem, pois os seus verdadeiros pilares, as pessoas, revelam-se mais equilibradas, mais presentes, mais criativas e mais unidas.
O ‘coaching’ surge como uma ferramenta que facilita estes processos de mudança positiva, que eleva o nível de lucidez individual e coletivo e por isso contribui para que o paradigma de «poder nas pessoas» seja cada vez mais a nossa realidade. Alicerçado no potencial humano e no pensamento positivo, apresenta-nos uma metodologia que nos ajuda a focar no que verdadeiramente queremos, a tomar consciência do que realmente está em causa, a nos responsabilizarmos pelas mudanças a realizar e a nos comprometermos. Ou seja, contribui de forma decisiva para que haja pessoas mais felizes e confiantes, equipas mais maduras, coesas e sinérgicas e organizações mais preparadas para encontrarem, elas próprias, as respostas ao desafio da sua existência.
A já gasta expressão «errar é humano» deverá dar lugar cada vez mais à nova expressão «acertar é humano», como reflexo desta descoberta extraordinária de que cada um de nós não só é co-criador da sua própria realidade como tem em si todas as respostas que garantem a superação de todo e qualquer desafio.
Cada um de nós mais real contribui para uma sociedade não só mais saudável mas também verdadeiramente mais feliz.

Viana Abreu é presidente da APCoaching – Associação Portuguesa de Coaching; vianabreu@apcoaching.pt

Nota: artigo publicado na edição 47 da revista «human» (novembro de 2012)
http://www.human.pt

Publicidade

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS   MEO Kanal - SAPO Emprego