Oriente a sua carreira


Primeiro Emprego

SAPO Emprego

Definir um rumo profissional.

Quando somos pequenos todos sabemos o que queremos ser quando crescermos… Astronautas, bailarinas, professores, médicos, são tantas as opções possíveis, que imaginamos um mar de oportunidades à nossa espera para quando chegar a altura de escolher. No entanto, a realidade é bem diferente e a angústia e o medo de falhar são os sentimentos mais recorrentes quando se trata de definir um caminho para a nossa vida profissional.
Não existindo receitas mágicas nem fórmulas de sucesso, reunimos algumas pistas que o podem ajudar a tomar a sua decisão.

1. O primeiro passo consiste em fazer uma auto-análise, para decidir o rumo que pretende dar à sua carreira profissional. Procure identificar os seus gostos, aptidões e as coisas para as quais sempre lhe disseram que “tem jeito”. A partir daqui tente saber que profissões têm aspectos comuns com as conclusões a que chegou.

2. Informe-se sobre as áreas profissionais que lhe interessam: quais as actividades desenvolvidas dentro dessa área; que tipo de formação é necessário ter; quais são as saídas profissionais mais comuns… É importante que esteja ciente do que se passa na realidade antes de tomar uma decisão.

3.  Se tiver hipóteses procure ajuda profissional, na área da orientação vocacional. Idealmente a nossa carreira e vocação deveriam andar “lado-a-lado”, mas nem sempre isso acontece, muitas vezes por desconhecimento. Em algumas escolas secundárias este tipo de serviço é disponibilizado gratuitamente.

4. Procure não dirigir a sua carreira para uma determinada área apenas porque “está na moda”. Não só não é garantido que corresponda ao seu perfil, será rapidamente um sector saturado pelo excesso de profissionais.

5. Tenha cuidado com os cursos demasiado recentes. Apesar de muitas das carreiras tradicionais estarem saturadas, a evolução das novas profissões pode ser muito incerta e alguns cursos não têm a credibilidade necessária para vingar no mercado de trabalho.

6. Se dá muita importância ao factor financeiro, procure falar com profissionais da área que está a equacionar escolher, de forma a poder saber se a realidade está de acordo com as suas expectativas.

7. A opinião da família assume grande importância na escolha da profissão. Não deixe de ouvir o que têm a dizer, mas não permita que tomem a decisão por si.

8. Por fim, lembre-se que as escolhas não têm que ser definitivas. Se enveredar por um determinado caminho, e se aperceber que na verdade não era o que pretendia, não tenha receio de partir novamente “à aventura”.

Publicidade

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS   MEO Kanal - SAPO Emprego