Espalhar a notícia


Procura de Emprego

SAPO Emprego

Com quem deve partilhar a procura de emprego.

Qualquer profissional tem consciência que procurar emprego enquanto se está empregado é uma actividade de alto risco. É necessário salvaguardar bem a sua posição e manter alguma discrição para evitar sair prejudicado de todo o processo. Por regra, nestes casos, é sempre melhor contar de menos do que demais, mas também sabemos que, no mercado de trabalho, as referências em cadeia funcionam eficazmente e a visibilidade tem de estar, de alguma forma, garantida. Para que não se sinta obrigado a manter-se em total segredo, damos-lhe algumas orientações importantes para saber o que dizer, e a quem dizer, quando se trata de procurar emprego.

- Familia: Estes devem ser sempre os primeiros a saber, pois são a melhor base de apoio que pode ter durante este processo e, à partida, os únicos em quem poderá  total confiança. Sem limites, partilhe as suas preocupações e ambições no que diz respeito ao que pretende para a sua vida profissional.

- Colegas de trabalho: Não se iluda. Nem todos os colegas de trabalho são os seus melhores amigos e,  enquanto que em alguns casos espalhar a notícia possa não ter nenhum efeito prejudicial, noutras situações pode acender o rastilho para deslealdades inesperadas. Mais vale prevenir  do que remediar, por isso não arrisque e mantenha-se discreto.

- Amigos: Se estamos sempre a apelar à importância do networking na procura de emprego, não poderíamos ignorar este facto: os amigos são, sem dúvida, os melhores aliados para a procura de emprego, sobretudo quando actuam em áreas semelhantes à sua. Faça saber que está activamente interessado numa mudança a nível profissional e aproveite ao máximo esta cadeia de contactos.

- Chefe: Numa situação de mudança de emprego,  receber uma contra-proposta  é sempre um cenário provável  e que agrada a qualquer trabalhador. No entanto, o melhor é jogar pelo seguro e guardar esta conversa para quando tiver uma proposta concreta e do seu agrado, pois caso contrário poderá funcionar contra si. Não faça bluff, nem antecipe a situação, até estar seguro do passo que pretende dar.

- Ex-colegas: Mais uma vez, temos aqui um exemplo tipo da potencialidade do networking. Estes contactos, uma vez que estão inseridos mais ou menos na sua área de actividade ou sector, podem ser uma forma útil de estar a par das movimentações e eventuais vagas que possam surgir no mercado. Não quer isto dizer que esteja isento de riscos,  tudo depende da relação que tenha com estes ex-colegas e a eventual proximidade que estes ainda têm com a empresa onde trabalharam juntos.

- Clientes ou outros contactos profissionais: É um dos cenários mais complicados, já que coloca a ética profissional e o seu desenvolvimento de carreira em pratos opostos da balança. Podendo ser, muitas vezes, uma possibilidade tentadora, sobretudo quando o seu desempenho é muito valorizado e reconhecido,  é também, de certa forma,  uma traição à empresa onde trabalha .  Para não sair prejudicado, sugerimos que mantenha a sua discrição a não ser naqueles casos em que a relação ultrapasse a relação profissional.

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS