Quando for grande quero ser...


Comportamento & Marketing Pessoal

SAPO Emprego

Um regresso às ambições de criança.

Quase todos tivémos, enquanto crianças, os mais variados sonhos sobre aquilo que seríamos quando crescêssemos. Mais ou menos realistas, relacionados com os nossos interesses, habilidades ou com o universo que nos rodeava, as expectativas eram grandes no que diz respeito às ambições profissionais.
Em grande parte dos casos, estes sonhos perderam-se pelo caminho ou ficaram mais distantes. No entanto, para muitas pessoas que se sentem insatisfeitas no trabalho ou que têm dúvidas quanto ao caminho a seguir profissionalmente, a resposta pode estar nos seus sonhos de criança.
Sugerimos um regresso ao passado que o ajude a chegar ao seu futuro profissional...

Quando tudo começa...
- Estudos recentes parecem apontar para a teoria de que o desenvolvimento de carreira é um processo que tem o seu começo logo na infância. Para muitos especialistas, as ambições que temos aos 3/ 4 anos, mantendo-se ou não ao longo da vida, têm um papel importante no nosso futuro profissional.
- Apesar da base irrealista e de pura fantasia que normalmente pauta as escolhas iniciais das crianças, também é verdade que desde cedo temos consciência das nossas preferências, motivações e até mesmo das nossas capacidades. Basta estar alerta aos sinais que manifestam as aptidões e características pessoais logo na infância.
- Para alguns especialistas, é logo a partir dos 5 anos que se começam a delinear as primeiras tendências profissionais tendo em conta factores externos, como o estatuto social, o género, o reconhecimento público e prestígio. Outros defendem que só a partir dos 12 anos começam a tomar forma as opções de carreira mais realistas e que poderão ter alguma correspondência com as escolhas futuras.
- O ideal seria que, durante as várias etapas do crescimento, todas as crianças fossem estimuladas a sonhar e a levar as suas ambições o mais longe possível. Professores, pais e educadores em geral, todos podem desempenhar um papel importante, incentivando cada criança a explorar os seus sonhos e interesses.

As ambições mais comuns
- Desde os primeiros anos de vida, a criança tende a identificar-se com as figuras que admira e que fazem parte do seu quotidiano. Por este motivo, ambicionar seguir a profissão dos pais, familiares ou outras pessoas próximas é a tendência mais repetida entre os mais novos. Por outro lado, as crianças vão também buscar as suas referências ao mundo da imaginação e fantasia, entre super-heróis e protagonistas das suas histórias preferidas.
- Segundo inquéritos realizados junto de crianças entre os 4 e os 10 anos, as profissões mais populares durante a infância são: professor(a), futebolista, polícia, veterinário, bombeiro, médico/a, enfermeira, modelo e bailarina. Estes resultados revelam que as primeiras escolhas de carreira variam de acordo com as idades e com o género, com os rapazes mais ligados às profissões mais “físicas” e as raparigas mais inclinadas para as áreas do ensino e artísticas.

A mudança
- Obviamente nem todos os sonhos de infância se tornam realidade, ainda mais quando falamos de ambições profissionais. Seja devido aos normais “acidentes de percurso”, por alterações de rumo ou redefinição de prioridades, é normal que nem todos os virtuosos do piano aos 7 anos venham a ser Mozarts no futuro.
- Quando somos mais novos, somos mais genuínos nas nossas escolhas. Com a idade, temos tendência para nos deixar condicionar por elementos externos, sejam meras opiniões de terceiros como factores culturais ou socio-económicos. Assim, é natural que, ao longo da vida, se  comecem a valorizar outras questões mais práticas, que acabam muitas vezes por ser incompatíveis com os sonhos idealizados.

Voltar atrás?
- Com a idade adulta, e sobretudo em determinadas fases da vida, é normal que sinta alguma insatisfação ou mesmo angústia pelos sonhos que teve de deixar para trás. Se está nessa situação, e sonha com as oportunidades que não agarrou pelo caminho, pondere sempre bem o que poderá estar a causar essa desmotivação e se a mudança de carreira é mesmo a melhor opção. 

Publicidade

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS   MEO Kanal - SAPO Emprego