Qualificações acima do perfil


Ambiente de Trabalho

SAPO Emprego

Lidar com o excesso de habilitações.

Regra geral, acreditamos que ter qualificações superiores ao perfil procurado pela empresa nos colocará automaticamente em vantagem face aos restantes candidatos. No entanto, é cada vez mais frequente sermos confrontados com situações em que o “excesso” de habilitações acaba por se tornar num impedimento para conseguir determinado emprego que, apesar de estar abaixo das reais capacidades, não deixa de ser muito desejado.

Neste cenário, um perfil mais qualificado vale como uma mais-valia ou será antes um factor prejudicial às suas candidaturas? Damos-lhe algumas sugestões para ultrapassar os efeitos negativos que o excesso de habilitações pode ter na sua procura de emprego.

 - Risco vs Lealdade.  Um dos principais motivos para as empresas afastarem os candidatos com melhores perfis, prende-se com o risco de investirem em profissionais que podem vir a abandonar o seu trabalho a curto prazo, logo que encontrem uma melhor oportunidade. Se a sua experiência assim o permitir, poderá contrapor a este preconceito demonstrando a sua “lealdade” para com as empresas onde trabalhou anteriormente.

 - Desânimo vs Motivação.  O excesso de habilitações para determinada função vem também muitas vezes associado ao receio de falta de empenho ou motivação. Nestas situações, deverá clarificar que os seus objectivos profissionais passam por dar sempre o seu melhor em tudo o que faz e demonstrar-se motivado e entusiasmado perante a possibilidade de vir a conseguir aquele emprego. Se for aplicável à situação, pode ainda evidenciar o seu interesse pela empresa e/ou área de actividade, nem que para isso tenha que entrar num nível mais baixo.

 - Custo vs Proveitos. Outras das questões mais ponderadas pelas empresas, quando confrontadas com perfis com qualificações elevadas, é a questão salarial. Na mente do recrutador o salário esperado será muito superior ao que poderiam pagar a outros candidatos, com habilitações inferiores. Neste caso, cabe-lhe a si demonstrar o valor que poderá representar para a empresa e mostrar-se aberto a negociações.

- Desajustamento vs Integração. Pode também surgir o receio de pretender destacar-se ou de se sentir de alguma forma superior entre os restantes elementos da equipa e, desta forma, não se integrar bem no grupo e prejudicar o ambiente de trabalho. Para que não restem dúvidas, realce as suas capacidades de relacionamento interpessoal e de trabalho em equipa.

- Vaidade vs Competência. A referência a determinadas posições hierárquicas já assumidas pode ser um imediato “cartão vermelho” para o seu novo emprego. Preocupe-se em referir as suas funções, responsabilidades e desempenho, sem fazer referência a cargos “pomposos” que não se coadunam com as funções a que se candidata.

- Rigidez vs Flexibilidade. O excesso de competências, sobretudo se associado à experiência, pode também ser muitas vezes confundido com uma resistência à aprendizagem e à mudança. Para os profissionais que estiveram vários anos numa mesma empresa ou têm uma vasta experiência profissional, a principal preocupação deverá ser demonstrar que estão receptivos a novas formas de trabalhar.

Publicidade

Siga-nos em:
Twitter   Facebook   LinkedIn   RSS   MEO Kanal - SAPO Emprego